Nova Tecnologia de Banda Larga da Bluwan (Ultima Milha)

clock  30/01/2011               TOON-pe

A companhia Francesa Bluwan tem encontrado uma maneira de canalizar o espectro de 42GHz para fornecer um sistema ponto-multiponto de transferência de dados e acesso em banda larga sem fio usando a tecnologia de fibra através do ar relatou James Atkinson. Operadoras de telefonia móvel estão enfrentando crescente demanda dos Wireless Banda Kuclientes por dados a serem entregues em velocidades cada vez mais rápidas. Muitos deles também estão às voltas com a economia de fornecimento de soluções de banda larga sem fio para áreas rurais, com populações dispersas.
Os fornecedores de equipamentos de rede acreditam que a Bluwan tenha desenvolvido uma solução para estes problemas. Em fevereiro de 2011, a empresa estará lançando oficialmente uma ultra banda de 42GHz ponto-multiponto (PTMP) para transferência de dados e acesso a arquitetura usando a tecnologia de fibra e através do ar (FTTA).
O produto foi desenvolvido a partir de pesquisa realizada pelo contratante de defesa Thales Communications cujo objetivo tinha enfoque nas comunicações militares e sistema de orientação de mísseis na faixa de ultra banda larga. A Bluwan foi fundada em 2006, como uma nova empresa da Thales. A empresa de pesquisa e desenvolvimento faz a montagem e integração dos sistemas em sua sede em Paris e suas vendas globais e marketing em Londres.
A tecnologia FTTA (Fiber to the Antenna) da Alca Bluwan opera no espectro da banda Q (40,5-43.5GHz), que é mais adequada para as áreas de média densidade urbana em climas temperados dentro do espectro da banda Ku (10,7 12.7GHz), a qual é mais adequada à baixa densidade em sub-áreas tropicais.
O espectro de banda Q tem a vantagem de ser capaz de transportar uma grande quantidade de dados, mas é um espectro difícil de operar, visto que as transmissões são muito susceptíveis a mudanças nas condições atmosféricas. Como resultado, é amplamente disponível e muito pouco utilizada na Europa, significando que existe suficiente capacidade para atender às necessidades futuras da rede.
Os reguladores da União Européia permitiram aos países membros a adotar 42GHz no espectro de soluções sem fio de banda larga. No Reino Unido, o espectro foi leiloado em 2007 com a T-Mobile, UK Broadband e MLL Telecom foram as que adquiriram as licenças. Muitos outros países europeus ainda têm leilão para esse espectro de freqüência.
Shayan Sanyal, diretor de marketing da Bluwan, explica: "Nós temos trabalhado ao longo dos últimos anos para criar um sistema que permite às operadoras móveis ou operadores convergentes para fornecer acesso muito rápido e transmissão de dados de banda larga através do ar. Nosso produto é um serviço de banda larga sem fio de ultima milha super rápida e uma solução móvel integrada 3G/4G como solução de transmissão de dados.”
O sistema da Bluwan com FTTA compreende estação base retransmissora, e equipamentos de rede de terminação. Ela fornece até 12Gbps de capacidade de transmissão de dados sem fio a partir de uma única estação base, n x 100 Mbps ligações ponto-multiponto e até 100Mbps de acesso em banda larga entregues às instalações. Uma vantagem adicional é que ele também pode ser usado para entregar IPTV ou TV por satélite DVB-S2 fornecendo até 30 canais de televisão HD e 150 SD.
Então, qual é a justificativa econômica para o investimento na tecnologia? Sanyal diz: "Há uma necessidade do ponto de vista governamental, político e econômico para fornecer 100% de acesso de banda larga para todos no país. Mas do ponto de vista das operadoras, não faz sentido oferecer fibra nas regiões de baixa densidade populacional, pois não terá retorno financeiro, assim eles forneceram soluções de qualidade baixa em vez do serviço com valor agregado.
“ Portanto, esta é a linha divisória digital: há uma falta de incentivo das operadoras a oferecer banda larga nas zonas rurais. Então, nós pensamos que poderíamos fornecer um produto de baixo custo para entregar vários Gbps para aquela área, dentro de uma solução econômica e comercial.
Bluwan acredita que pode entregar velocidades e capacidade de 20% a 90% menores de CAPEX e OPEX de fibra em relação as tecnologias concorrentes sem fio. Ele estima que um prestador de serviços possa tornar o seu fluxo de caixa positivo com 100 mil usuários dentro de dois anos ou menos. O pequeno tamanho de suas antenas significa menos equipamentos, menores áreas para a instalação da infraestrutura e para os custos de locação do mastro proporcionando um tempo mais rápido de retorno para o mercado, o qual oferecem uma economia tanto em CAPEX como em OPEX.
A solução da Bluwan é projetada para complementar ou substituir as portadoras existentes e a fibra das operadoras de rede móvel, ADSL / cobre, WiMAX e 3G/HSPA nas atuais ou futuras implantações. Ela também é projetada para ser à futura prova para o LTE.
"É uma solução de acesso uniforme de transmissão de dados”, diz Sanyal. "Você não precisa de acesso de fibra óptica local; na atualidade esta distancia pode estar de 30km-40km. Nós fornecemos uma ponte multi-Gbps e criamos artérias sem fio para empresas e residências de até 100 Mbps através de uma rede ponto-multiponto para locais de até 10 km de distância.”
Os clientes precisam ter uma antena externa de pequeno porte, que se alimenta por um cabo coaxial. O cabo coaxial é então dividido em um roteador IP Bluwan fornecendo acesso à Internet ao set-top box. Bluwan projetou uma solução totalmente em IP e Ethernet, para que os clientes não precisem de equipamentos proprietários a não ser o receptor Bluwan e modem / roteador.
"A principal razão para a escolha de uma solução ponto-multiponto é que também economiza dinheiro. Isso é altamente relevante para os prestadores de serviços”, diz Sanyal.
"Se você está olhando para múltiplas estações de base para transmissão de dados móvel com soluções ponto-a-ponto a partir de um único ponto de presença, você vai precisar de uma antena para cada estação base. Com a FTTA, estas estações de base podem ser alimentadas com uma única antena. Por exemplo, se você está transmitindo dados de oito estações de base móveis, a comutação para o sistema FTTA reduziria a área de cobertura para uma antena. Isso é muita economia por site no aluguel do mastro e em manutenção. Menos parábolas também resultam em minimizar a poluição visual.

Bluwan Banda Larga

 

Bluwan acredita que pode oferecer as operadoras de rede uma solução de acesso de última milha forte. "O WiMAX e similares podem fornecer uma ótima tecnologia de acesso, mas eles não têm qualquer capacidade inerente", diz Sanyal. "Nos últimos 16Km, você precisa de um ponto de presença para o último ponto de acesso para ser efetivo."
O problema com o WiMAX, argumenta Sanyal, é sua canalização pequena enquanto a fibra ainda está longe de chegar a um estrangulamento na capacidade de forma rápida. O que a Bluwan oferece de solução é uma ramificação para uma canalização larga, e que mantém essa largura por todo o caminho até o usuário final. Suas canalizações são largas o suficiente para fornecer acesso local em 20Mbps ou mais de serviços tais como HDTV (TV digital integrado ou quando isso se tornar disponível).
As provedoras de TV precisam transmitir os seus canais para a estação base central Bluwan apenas uma vez e a Bluwan então transmite o serviço através de sua rede terrestre. "É muito mais eficiente em relação a distância, e é muito menor do que a transmissão de um satélite no espaço", diz Sanyal.
O sinal é transmitido para as casas individualmente via antena de banda larga do cliente, que também atua como uma antena de TV. "O resultado é que o operadora adquire um custo-efetivo melhor com uma solução de triple-play “, diz Sanyal.
Ele argumenta que esse tipo de serviço pode aumentar o ARPU de £ 20 por mês para a banda larga somente, e até £ 50 com serviços de triple-play. "Potencialmente, ele é um grande gerador de ARPU para as zonas rurais", diz ele.
"Áreas hoje com 5% de penetração de banda larga vão subir para 40% até 50%, mas funcionando com uma fração do custo. Nós podemos testar as áreas de baixo risco e ver com o marketing se a implantação é provável para que se viabilize. Se ele não funcionar nessa área, podemos retirar o equipamento de rádio e colocá-lo em outro lugar ", acrescenta Sanyal.
A estratégia atual da Bluwan é conversar com as organizações titulares de licenças de espectro relevantes, tais como a UK Broadband e a T-Mobile no Reino Unido e a O2 na República Checa. Estamos realizando uma série de ensaios, no momento, incluindo um em Paris e outro com a Orange, na Eslováquia.
Bluwan faz, como admite Sanyal, e têm um interessante dilema para o marketing na medida em que sua solução é tanto para a "última milha" como solução de banda larga sem fio de alta velocidade e uma solução de transmissão de dados 3G/4G.
Mas o pioneirismo no uso da banda Q e do espectro da banda Ku, não parece ter vindo como uma solução que não só proporciona um desempenho excelente em termos de largura de banda, mas também possui escalabilidade. Ela deve permitir que as operadoras gerenciem os requisitos de largura de banda e ampliem suas redes de uma forma economicamente eficiente conforme a demanda do consumidor crescer.

por Paulo Silveira

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s